fbpx
Objetivo geral e objetivos específicos do plano de gerenciamento de riscos na assistência à saúde

Objetivo geral e objetivos específicos do plano de gerenciamento de riscos na assistência à saúde

O objetivo geral do programa de gerenciamento de risco é proteger os pacientes, membros da equipe e visitantes de lesões inadvertidas.

O programa também visa proteger os ativos financeiros e intangíveis da organização, como reputação e posição na comunidade.

O plano de gerenciamento de riscos é a principal ferramenta para implementar o programa geral de gerenciamento de risco da organização. Ele foi projetado para fornecer orientação e estrutura para os serviços clínicos, comerciais e administrativos da organização que impulsionam o atendimento de qualidade ao paciente, promovem um ambiente seguro, asseguram a sustentabilidade econômica e financeira e a perenidade.

O foco do programa de gerenciamento de risco e dos seus planos é fornecer uma abordagem contínua, abrangente e sistemática para reduzir as exposições ao risco no contexto de cada área, suas funções e atividades e da entidade como um todo.

O gerenciamento de risco inclui a identificação, investigação, análise e avaliação dos riscos, seguida da seleção e implementação dos métodos mais adequados para corrigi-los, reduzi-los, gerenciá-los, transferi-los ou eliminá-los.

Objetivos específicos

Os objetivos do plano de gerenciamento de riscos incluem, mas não estão limitados a:

  • promover a qualidade do atendimento ao paciente, em colaboração com atividades de melhoria de qualidade / desempenho
  • aumentando a satisfação do paciente,
  • minimizando a frequência e gravidade dos eventos adversos,
  • promovendo a melhoria contínua;
  • apoiar uma cultura não punitiva que promove a conscientização e capacita a equipe a identificar questões relacionadas ao risco;
    aumentar a segurança do paciente por meio da participação e adoção das metas do Programa Nacional de Segurança do Paciente – PNSP, estratégias de segurança organizacional e outras iniciativas de segurança do paciente;
  • aumentar a segurança ambiental para pacientes, visitantes e funcionários por meio da participação nas atividades relacionadas aos cuidados;
  • utilizar estratégias de gestão de risco para identificar e minimizar a frequência e a gravidade de quase acidentes, near miss (potencial evento adverso), incidentes e reclamações;
  • aprimorar o gerenciamento de eventos adversos e lesões para minimizar perdas financeiras;
  • dar suporte à avaliação de sistemas que podem contribuir para o atendimento ao paciente, erro ou lesão;
  • educar as partes interessadas sobre exposições a riscos emergentes e conhecidas iniciativas de redução de riscos;
  • atingir os requisitos definidos pelas organizações credenciadoras;
  • cumprir com o escopo específico determinado por leis, regulamentos e padrões aplicáveis;
  • gerenciar custos com crescente efetividade e reduzir perdas por falhas, desperdício e retrabalho.

Rolar para o topo